Clicky

Remédio para cachorro parar de comer fezes: Saiba se funciona

Shih Tzu adulto olha para a câmera

Chegar em casa depois de um dia exaustivo e ver seu cachorrinho com fezes na boca ou com cheio ruim porque ingeriu cocô, é muito frustrante. Se isso está acontecendo no seu lar, e você resolveu procurar por um remédio para cachorro parar de comer fezes, cuidado!

Antes de ofertar qualquer coisa ao cão, você precisa ter conhecimento de algumas informações importantes, e entender mais a fundo esse problema. Você precisa encontrar os motivos que levam seu pet a ingerir fezes. Somente depois disso pode buscar uma solução para o problema.

Aqui você vai entender: por que é um erro ficar tentando achar soluções milagrosas pra resolver a coprofagia, o que vai acontecer com o cão, e de que forma ele vai sofrer se você fizer isso. Vou te mostrar também o que realmente funciona para resolver a coprofagia, e te apresentar um método eficiente que poucas pessoas conhecem!

Índice

Qual a explicação para o cachorro comendo fezes?

A coprofagia canina é um distúrbio de comportamento que leva o cão a adquirir o hábito de comer as próprias fezes ou a de outros animais.

Este hábito tem causas distintas, ou seja, os motivos que podem estar por trás da coprofagia podem ser vários. Entre eles estão:

  • Questões naturais, instintivas ou relacionadas às raças;

  • Questões clínicas, como doenças gastrointestinais (estas são tratadas por veterinário);

  • Questões nutricionais, em que o cachorro faz a ingestão de fezes para suprir um déficit de nutrientes;

  • Causas emocionais, como: estresse e ansiedade;

  • Causas comportamentais, como: curiosidade, fase exploratória do filhote, chamar atenção do dono, entender o cocô como recurso alimentar, etc.

Remédio comercial para coprofagia funciona?

Imagem ilustrativa de frascos de remédio

Há no mercado uma série de remédios para conter a coprofagia canina, podendo ser divididos em duas categorias de uso: interno e externo.

Os remédios de uso interno são os alopáticos e são fáceis de identificar, vendidos em pet shop e geralmente carregam o prefixo “anti” em seu nome (anticoprofágico). Além disso, sua prescrição precisa ser dada por um veterinário.

Alguns exemplos de remédio para coprofagia são os seguintes:

  • Coprovet: anticoprofágico de uso interno vendido em caixas com 10 ou 20 comprimidos que atuam na parte digestiva do animal;

  • Acoprofagia: produto de uso externo que, ao invés de dar comprimidos para o cachorro, você espalha uma quantidade do pozinho sobre a ração.

Por mais que existam estas opções, é possível verificar, com uma simples busca de relatos na internet, que estes medicamentos têm uma eficácia muito baixa. Ao observar os comentários de quem já comprou, pode-se ver que as reclamações se espalham pelos fóruns da web.

Nesses relatos, os tutores que já usaram os remédios indicam que o cachorro ainda come cocô mesmo após o remédio, ou seja, a solução nunca é definitiva.

Em suma, a ineficácia desses remédios pode ser atribuída ao fato de que a coprofagia canina tem origem multifatorial, ou seja, as causas não são apenas clínicas, e por conta disso, outras medidas devem ser adotadas para a resolução do problema.

O remédio até pode, em alguns casos, auxiliar em uma parte apenas, mas deve ser visto como um contribuinte e não como a solução em si.

Remédio caseiro para cachorro parar de comer fezes funciona?

Não existe um remédio caseiro para cachorro parar de comer fezes. O que se tem são algumas receitas caseiras e dicas aleatórias que, em última análise, não fazem sentido algum.

O cozido de verduras é comumente indicado, porém, se a causa da coprofagia for comportamental (que representa a grande maioria dos casos), além de não funcionar, leva a um desajuste da alimentação do cão.

Da mesma forma, as frutas indicadas para serem dadas na alimentação visando deixar o cocô com cheiro e gosto ruins, também podem desestruturar a parte nutricional, levando a manutenção do comportamento coprófago.

Aliás, uma observação aqui sobre “cheiro e gosto ruins”: quem determina se as sensações de paladar e de odor são boas ou ruins? Não podemos antropomorfizar (trazer percepções humanas) à coprofagia canina.

O que deve ficar claro é que tudo o que diz respeito às opções caseiras não resolvem a coprofagia, pois vão de encontro a apenas uma causa e podem, inclusive, mais atrapalhar na questão nutricional do que contribuir!

Ou seja, basicamente, não há sentido em fazer com que seus cachorros comam alguns alimentos que não estão acostumados para que deixem de lado as fezes. Isso também não funciona para resolver a coprofagia.

Suplementos probióticos, prebióticos e enzimas funcionam?

Cão recebe um remédio do tutor

Em síntese, os suplementos probióticos, prebióticos e enzimáticos auxiliam na formação e na manutenção da microbiota intestinal, garantindo a presença de alguns nutrientes que podem estar faltando.

Porém, estes compostos atuarão em apenas uma das causas, devendo ser encarados como auxiliares e não como a solução em si da coprofagia canina.

Um exemplo de produto vitamínico que o médico veterinário pode indicar para seus cães é o Coprox. Ele também é um anticoprofágico, como os outros produtos que já citei. Mas ele trata apenas da questão nutricional do seu pet, o que não é o ideal, pois a questão comportamental e emocional não são resolvidas com este produto.

O risco de usar remédio anticoprofágico

Cãozinho da raça Lhasa Apso em um parque

As tentativas de solucionar a coprofagia canina com o uso de remédios anticoprofágicos ou com alguma receita caseira “milagrosa”, podem ser desastrosas.

Por conta de apenas tratar uma das causas, estas soluções podem desajustar a estrutura alimentar e o funcionamento considerado normal do organismo do pet. Isso pode causar problemas de saúde para o seu cachorro.

Outro ponto que precisa ficar claro em relação aos medicamentos, seja em comprimidos ou em pó, é a quantidade de dias de tratamento.

Avalie a situação: digamos que seja prescrito de 15 a 30 dias de uso do medicamento, mas neste período o cão não parou de comer o cocô. O que aconteceu? Se o cão faz 3 cocôs no dia, e ingere todas as vezes, foram 90 repetições do comportamento coprófago.

Essa repetição faz com que o animal se condicione ainda mais a comer cocô, fixando de vez o hábito e vício. Isso é extremamente perigoso para a saúde física e mental do cão.

Além disso, remédios para coprofagia, assim como qualquer remédio, possuem efeitos colaterais, portanto podem causar danos à saúde do seu cachorro.

Não existe solução milagrosa

Shih Tzu corre em um quintal 

Como exemplifiquei no item anterior, a coprofagia canina é um distúrbio comportamental em que, a cada repetição do comportamento-problema, mais distante se fica da solução, piorando consideravelmente as chances de sucesso do tratamento.

Da mesma forma, as tentativas com “soluções milagrosas” só fazem o dono perder tempo e dinheiro e, no final das contas, fazem o cão se viciar ainda mais no hábito de comer fezes.

Por isso, ao invés de procurar tanto por um remédio para cachorro que come as próprias fezes, tenha em mente que o caso da coprofagia não se resolve apenas com o uso de um medicamento.

Afinal, a solução passa, necessariamente, por um processo de educação canina visando orientar o pet de forma que ele aprenda qual o comportamento correto a se ter quando ele vê as fezes no ambiente.

Para isso é necessário método de manejo comportamental, incentivos emocionais corretos e técnicas modernas de treinamento de cães.

Além de precisar conhecer estas técnicas, o tutor precisará ser paciente, persistente e dedicado para ajudar o cachorro que sofre com coprofagia canina.

Ademais, a depender dos fatores e do tempo que o pet tem este comportamento, pode ser um pouco mais desafiador. No entanto, independente da idade, raça, e de quanto tempo ocorre essa situação, seu pet pode sim deixar o ato de comer fezes no passado!

Comer Cocô Nunca Mais

Como Fazer seu Cachorro Parar de Comer Cocô

Tutora passeia com seu cachorro

Como você já sabe, a ingestão de fezes é um hábito que tem causas diversas. Dessa forma, o ideal é dar atenção a todos os motivos que levam os pets a comer cocô.

Ao invés de combater apenas a causa digestiva e nutricional com o uso de produtos, ou de fazer apenas uma visita ao veterinário, atente-se também, para as questões comportamentais do problema.

Assim sendo, se o seu cachorro está comendo fezes, veja o que pode fazer para dar um basta nessa questão:

A importância da atividade física e passeios para o cão

Cachorrinho corre atrás de um brinquedo

As atividades físicas ajudam no controle físico e emocional do pet que tem coprofagia, assim como de qualquer cão. Isso porque ajudam no desgaste da energia física dos cães, melhorando o bem estar e também impactando na fisiologia dos animais.

Dessa maneira, o dono de um pet com comportamento coprófago pode:

  • Fazer brincadeiras de cabo-de-guerra;

  • Corridas de pega-pega;

  • Ensinar o doguinho a correr atrás da bolinha;

  • Comprar brinquedos dispensadores de ração para que o cachorro precise fazer algum esforço para obter alimento e fique, assim, entretido por mais tempo.

Além disso, os passeios são uma excelente ferramenta para ajudar o cão que sofre com coprofagia, pois além do desgaste de energia, o passeio imita situações naturais para cães, como a exploração territorial, a caçada e o forrageamento (busca pelo próprio recurso alimentar). 

Não brigar e não recolher as fezes na frente do cão

Excluir as brigas e broncas da relação com o cãozinho com comportamento coprófago é o primeiro passo para reeducá-lo.

Xingar, gritar, dar broncas e brigar eliciam estados emocionais de ansiedade e medo, que são causadores da coprofagia. Ou seja, se este tipo de ato do tutor continuar, só vai piorar o problema.

Além disso, evite recolher as fezes na frente do cão, isso porque, como os canídeos são seres de grupo e aprendem observando outros seres do bando, logo podem replicar a ação de recolher as fezes, mas de forma disfuncional, ou seja, com a boca.

O que realmente funciona para o cão parar de comer fezes

Tutora recompensa seu cachorro

Muitas das pessoas que já atendi com esse problema me relatam que antes de aplicar minha metodologia, tinham virado “fiscal do cocô” para não deixar o cachorro comer as fezes.

Esta é uma situação nada agradável pois o tutor perde muito tempo e essa estratégia nem sempre funciona. E o pior, se o seu cão viver 15 anos, você terá que ficar todo este tempo fiscalizando? Definitivamente esta não é a solução para os casos de coprofagia.

O manejo comportamental da coprofagia canina precisa ser estruturado de forma com que o cão tenha seu relógio biológico regulado – e isso se faz através do controle alimentar e do estabelecimento de uma rotina previsível para o animal.

Desta forma será possível treinar o cão a ignorar as fezes logo depois que faz e também o comportamento correto, que é o de se afastar do cocô. E com a consolidação dessa educação, será possível deixar o cão à vontade, pois mesmo você não estando presente no momento da evacuação ou estando fora de casa, o cão evacuará e não comerá o cocô.

Conclusão

Por vezes, os tutores de cães com coprofagia querem resolver o problema de forma apressada. Um produto como um remédio pode parecer ser a solução ideal, por ser rápida e fácil. No entanto, como expliquei, esses produtos não têm o efeito desejado e você só perderá tempo e dinheiro. Além de poder deixar a saúde do bichinho comprometida.

Assim sendo, para tratar de vez o problema, invista alguns minutos por dia em atividades como passeios, brincadeiras e outros exercícios que o façam se movimentar. Ademais, os animais precisam aprender a abandonar as fezes assim que evacuarem e, para isso, é preciso ensinar este comportamento a eles.

Se você deseja saber como ensinar seu cão a ignorar o cocô logo depois que faz, e assim acabar com a coprofagia, conheça o Método COMER COCÔ NUNCA MAIS e consiga com que seu cão pare de UMA VEZ POR TODAS de comer cocô. Clique no botão abaixo:

Perguntas frequentes

As causas que levam alguns cães a comer fezes são diversas. Ele pode começar a ingerir fezes porque está com algum problema de saúde, ausência de nutrientes, por imitação ou tendência genética.

No entanto, as maiores causas estão relacionadas ao comportamento do cão, que pode estar comendo as fezes para evitar brigas do tutor, ou como alívio para o tédio, distração, entre outros.

Para que seu cãozinho deixe de comer as próprias vezes você deve fazer um treinamento com reforço positivo em que ensine como ele deve se afastar e ignorar o cocô. Além disso, deve eliminar as brigas e praticar mais atividades com o bichinho de estimação. Nessas atividades, inclua passeios, brincadeiras de pega-pega e recursos de enriquecimento ambiental como os dispensadores de ração.

A indicação de um remédio para cachorro parar de comer cocô se dá quando o médico veterinário entende que o produto pode ajudar a curar o problema. Mas, cuidado, apenas dar o remédio não vai resolver o problema. Nesse sentido, você ainda precisa tratar as demais causas do comportamento coprófago.

Não existe um remédio que seja ideal para a cura da coprofagia. Assim sendo, o melhor jeito de solucionar a coprofagia é ensinando o comportamento adequado ao cãozinho. Ou seja, ensinar que é mais vantajoso que ele ignore o cocô do que o pegue.

Rafael Wisneski

Rafael Wisneski

Especialista em Comportamento Canino e Educação Canina há mais de 15 anos, professor universitário de cursos de Medicina Veterinária, e idealizador de cursos online para tutores e cursos para adestradores

Escrito por:

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigo relacionados

Qual É A Sua Dúvida?

Encontre A Solução Que Você Procura Sobre Coprofagia

Filhote comendo cocô