Clicky

Coprofagia Canina tem cura? Descubra a verdade

Filhote da raça Golden Retriever

Sempre que você chega em casa o seu cachorro está com cheiro de fezes ou com mau-hálito porque comeu fezes? Se isso está acontecendo, saiba que este problema tem nome: coprofagia canina. Além disso, aproveite para descobrir se a coprofagia canina tem cura ou não.

Mas, o que é coprofagia canina? Em síntese, é o ato de comer fezes, sejam elas do próprio animal, seja de outras espécies.

Sendo assim, se você busca uma solução para que seu cão pare de comer fezes ou até mesmo de espalhá-la pela casa, confira o post a seguir. Nele quero lhe mostrar as forma de eliminar o problema da vida do seu melhor amigo canino e se ela tem, afinal, uma cura. Confira!

Índice

A coprofagia em cães pode ser curada?

Criança segura um filhote no colo

Sim! Cães de qualquer raça e qualquer idade podem ser curados. Ao longo da minha experiência profissional, já enfrentei inúmeros casos com cachorros de tamanhos, raças e idades diferentes e obtive sucesso na maioria deles.

Mas, a solução não é milagrosa. Para que o pet deixe de apresentar o comportamento coprófago, você precisa ter paciência e dedicação.

Afinal, este mal afeta a saúde física e mental do cão e está relacionado às relações da família e do tutor com o animal. Remédios anticoprofágicos, receitas, caseiras, sucos, frutas, entre outras “soluções” podem até auxiliar o quadro geral. No entanto, não vão resolver a questão!

Quando o responsável procura uma solução milagrosa, poderá (com sorte) resolver apenas uma das causas, mas nunca o conjunto delas.

Uma cura para cada causa

Pois bem, o tratamento para os cães que comem as próprias fezes envolve um conjunto de questões. Dessa forma, não adianta tratar uma causa e deixar as outras de lado.

Para que seu pet tenha mais qualidade de vida e pare de ter problemas com a ingestão de fezes, você precisa se certificar de que o cão está bem de saúde, comprar uma alimentação de qualidade e estar atento a doenças psicológicas e comportamentais.

Confira tudo o que os tutores devem fazer para que os pets deixem de manifestar o hábito da coprofagia.

Causas CLÍNICAS

Veterinário e assistente cuidam de um cachorro

Os animais podem comer fezes por motivos de saúde. Nesse sentido, a situação tem relação com doenças gastrointestinais, má absorção de alimentos, carência nutricional e presença de parasitas.

Para fazer a identificação dos motivos clínicos, procurar um médico veterinário é fundamental. Afinal, ele ajuda a:

Se certificar de que o cão está vermifugado, não tem giárdia, etc.

O médico veterinário é o profissional responsável para dar o parecer acerca do quadro clínico da coprofagia e de uma possível verminose em cães.

Estes profissionais solicitam exames de sangue e de fezes, por exemplo. Além disso, em alguns casos, podem pedir exame de ultrassom para avaliar possíveis razões e descartar outras. Esses dados são essenciais para que possa fazer o diagnóstico correto dos pets.

Da mesma forma, será o médico veterinário de confiança do tutor que prescreverá medicamentos, fará e orientará a vermifugação do animal e o controle da doença.

Em caso de giárdia, ele provavelmente pedirá exames para comprovar a infecção, orientará o melhor remédio, a dosagem, quantas vezes deve ser ofertada a medicação no dia e por quanto tempo. Por fim, ele também avaliará a questão no final do tratamento da giardíase do cachorro para saber se os parasitas foram eliminados.

Se certificar de que a ração está adequada e não faltam nutrientes

Cão faz sua alimentação em um comedouro

Mesmo que seu animal não manifeste o hábito da coprofagia, ainda assim a oferta de uma dieta adequada é essencial para manter a saúde dele.

Nesse sentido, existem opções de rações das categorias Premium e Super Premium. Além de conterem maiores percentuais de proteína, de fibras e minerais, elas não possuem ingredientes que fazem mal aos animais, como antioxidantes sintéticos.

Por conta do seu valor nutricional as quantias ofertadas são menores enquanto a nutrição e digestibilidade são maiores. Ou seja, o cãozinho come menos e estará mais satisfeito com o tipo certo de ração!

Adequar a alimentação é parte fundamental para conter o problema. Além disso, os donos podem ficar atentos a detalhes como:

  • Tamanho adequado do grão;

  • Níveis nutricionais;

  • Fonte proteica.

Causas COMPORTAMENTAIS

Homem segura cachorro no colo em uma praia

Muitos cães que ingerem as próprias fezes demonstram distúrbios de comportamento como ansiedade, estresse, tédio e aborrecimento. Se o seu cão está adotando este tipo de hábito, vale a pena conferir algumas atitudes que você pode tomar para corrigir o problema.

Enriquecimento ambiental anti stress e tédio

Cachorro brinca com um porquinho de plástico

O Enriquecimento Ambiental (EA) são adaptações feitas no ambiente e na rotina dos animais que vivem em cativeiro, ou seja, animais que vivem em zoológicos, criadouros, institutos conservacionistas, entre outros.

Quando observa-se os cães, principalmente os domesticados, essas adaptações também são necessárias para garantir seu bem estar, pois apesar de conviverem com humanos e serem adaptáveis, ainda carregam no seu DNA os comportamentos inatos, naturais e espécie-específicos de seus ancestrais. 

Tédio, ansiedade e estresse crônico podem estar relacionados com ambientes pobres em estímulos e também com a falta de oportunidades para o cão expressar comportamentos naturais. Com o tempo, isso pode afetar a saúde física e mental do cão, inclusive levando a problemas comportamentais, entre estes o ato de comer fezes.

Ensinar o cão a fazer xixi e cocô no lugar certo

Um dos fatores que pode levar o cachorro a desenvolver coprofagia surge das tentativas de ensinar o cão a fazer as necessidades no lugar correto.

Para conseguir com que o cão faça o xixi e as fezes em determinado espaço e em determinado substrato (jornal, tapete higiênico, tablado sanitário, etc.), alguns donos ou tutores acabam querendo “corrigir” o cão. Essa medida, muitas vezes, é feita através de brigas, broncas, do ato de esfregar o focinho nos dejetos, entre outras.

Outro ponto que merece atenção diz respeito à localização da área de evacuação. Nesse sentido, o local de fazer as necessidades não deve estar próximo ao de descanso e de lazer do cachorro.

Não brigar caso ele faça no lugar errado

Cachorro com aparência triste

Uma orientação que ofereço para todo dono de pet que faz o cocô no lugar errado é não brigar. Num primeiro momento parece não fazer sentido tal orientação mas, na prática, funciona muito bem.

Imagine o caso em que o dono xinga o cachorro quando este faz as fezes no lugar errado na primeira vez. Depois disso, o cão volta a ter o comportamento errado e seu responsável grita mais alto. Esse descontrole continua ainda por uma terceira e quarta vez.

Este cenário já seria motivo de atenção, afinal, mostra que o cãozinho não está aprendendo o lugar correto de fazer as próprias fezes. Porém, pode ter aprendido a ter medo do seu dono, ficar ansioso antes de fazer as necessidades, a se afastar quando precisar evacuar, a querer comer as fezes para que o tutor não veja e evitar broncas, etc.

Educar o cão ensinando ele a se afastar do cocô depois que faz

Quando se busca ensinar algo para um cão é necessário ter em mente que estes animais agem em função de algo e aquilo que se traduzirá em comportamento será o resultado da ação! Apesar de parecer complicado, é bem simples de compreender. Veja o exemplo:

O cão que sofre com coprofagia canina age comendo as fezes para saciar a fome. Nesta situação, a função de algo é saciar a fome e a ação é comer as fezes.

Quando o objetivo é que o animal se afaste das fezes depois que faz, é necessário construir a ação desejada, ou seja, o afastamento do cocô.

Para construir a ação é preciso um passo a passo, um método que estabeleça de forma gradual o comportamento desejado (Ação) e desenvolva no cão a vontade de se afastar por conta própria do local em que fez o cocô (Função).

Conclusão

Cãozinho da raça Shih Tzu

Para que seu pet desenvolva hábitos melhores e evite o consumo de fezes, você precisa corrigir todos os problemas que levam à esta atitude.

É preciso estar atendo a todos os detalhes, desde questões de comportamento, uma doença e até possíveis deficiências de nutrientes na ração.

Para que você consiga ensinar seu pet a parar de comer fezes, recomendo que conheça o Método COMER COCÔ NUNCA MAIS. Por meio dele você vai conseguir que seu cão pare, de UMA VEZ POR TODAS, de comer fezes. Clique no botão abaixo para saber mais:

Perguntas frequentes

Não existe nenhum remédio que seja 100% eficaz contra a coprofagia em cães. Portanto, medicamentos, sucos, florais, entre outros recursos, não solucionarão, sozinhos, a questão.

O ato de comer fezes pode se manifestar por conta de diferentes razões: consumo insuficiente de nutrientes, presença de vermes, problemas gastrointestinais, tédio, estresse, ansiedade, entre outros.

Para que você consiga eliminar o problema da coprofagia canina, precisa investir num conjunto de soluções. Nesse caso, você precisa lançar mão de uma série de tratamentos, que envolvem consulta ao veterinário, criação de um espaço anti estresse e adestramento positivo.

Rações do tipo Premium ou Super Premium, ricas em proteínas e outros nutrientes são a melhor que você pode ofertar para o seu cão pois ajudam no tratamento quando ele já está coprófago e evitam que o problema evolua.

Veja também: Ração para evitar coprofagia

Rafael Wisneski

Rafael Wisneski

Especialista em Comportamento Canino e Educação Canina há mais de 15 anos, professor universitário de cursos de Medicina Veterinária, e idealizador de cursos online para tutores e cursos para adestradores

Escrito por:

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigo relacionados

Qual É A Sua Dúvida?

Encontre A Solução Que Você Procura Sobre Coprofagia

Filhote comendo cocô