Clicky

Cachorro comendo cocô: como resolver definitivamente

Lulu da Pomerânia

Ver seu cachorro comendo fezes com frequência pode causar muitas preocupações. Você pode se perguntar se é normal, se é alguma questão de saúde, ou o que levou o animal a fazer isso, entre muitas outras dúvidas.

Irei explicar aqui tudo sobre este assunto, quais os possíveis motivos, clínicos e comportamentais, além de como resolver esse hábito.

O hábito de comer cocô é uma questão comportamental que pode ter diversas razões, incluindo a falta de nutrientes na dieta.

Apesar de muitas pessoas acharem que é motivo para levar o cachorro a um médico veterinário, geralmente os fatores não são clínicos, sendo assim, só você poderá resolver. Você verá aqui como resolver em apenas 3 etapas.

Índice

Qual a causa mais comum?

A causa mais comum é comportamental, por isso, a opção de somente levar ao médico veterinário não será de grande ajuda. Apesar dos cuidados necessários que devem ser dispensados para a parte clínica, a grande maioria dos casos é relacionado a comportamento.

Isto porque o modo com que os cães aprendem influencia muito sobre este problema, e também a maneira como a maioria dos tutores buscam solucionar a questão, o que acaba, em muitas ocorrências, potencializando a situação.

É importante ainda lembrar que, apesar de ser comum em raças como Shih Tzu e Lhasa Apso, esse não é um hábito exclusivo destas raças. Então, lembre-se que a causa não está relacionada apenas com a raça. Qualquer cachorrinho pode desenvolver este hábito.

As possíveis causas da coprofagia

Border Colie adulto

Geralmente o motivo porque cachorro come fezes é comportamental, portanto, muito provavelmente é alguma situação abaixo que está fazendo com que seu animalzinho coma fezes.

Veja abaixo com atenção algumas possíveis razões pelas quais o cachorro pode comer cocô.

Possíveis causas comportamentais

  • Imitação ou aprendizagem social
  • Chamar a atenção da família
  • Comportamento curioso/exploratório
  • Disputas por recurso
  • Evitar um castigo
  • A recompensa é o cocô
  • Local de banheiro mau definido

Possíveis causas clínicas

Samoieda filhote com brinquedo

Apesar de não ser frequente, em alguns casos o hábito de ingestão de dejetos pode se desenvolver devido à questões clínicas. Nesse caso, procurar um veterinário é uma das ações necessárias para resolver.

  • Distúrbios alimentares
  • Alguma doença de Má Digestão de nutrientes (deficiência enzimática)
  • Má Absorção (doenças gastrointestinais)
  • Vermes
  • Giardíase

No vídeo abaixo explico em mais detalhes sobre as diferentes razões que levam à coprofagia e como resolver:

Saiba agora como fazer o cachorro parar de comer fezes em 3 etapas simples!

Etapa 1: Identificar a causa e erros que fazem o cachorro comer fezes

A identificação da causa é o primeiro passo para conseguir o objetivo que é ter um companheiro canino saudável e feliz.

As principais razões são três: Orgânica, Emocional e Comportamental. A causa Orgânica se divide em duas: clínica e nutricional.

Ansiedade e Tédio são os possíveis estados emocionais que podem levar ao hábito de comer as fezes. Já a grande maioria dos casos têm a causa comportamental como origem.

Vale ressaltar que, por mais que seja identificada uma causa, invariavelmente, as outras duas também devem ser corrigidas.

Por exemplo: se a causa identificada desse hábito foi Orgânica – Clínica, pois o animal está com giárdia, por mais que seja feito o tratamento para giardíase, também serão necessárias as correções Emocionais e Comportamentais, para não haver resquício do problema.

Soluções mágicas não funcionam

Maltês deitado

Se o seu cachorro come fezes, buscar soluções mágicas acabam postergando a solução do problema e podem trazer muita frustração e perda de tempo.

Se em algum momento foi tentado alguma solução como pózinhos ou receitas caseiras e isto não resolveu a questão, fato é que tempo foi perdido e o filhote repetiu o comportamento-problema, se viciando ainda mais.

Avalie o seguinte: se um cão coprófago defeca 3 vezes no dia e come as fezes em todas essas oportunidades, e na tentativa de resolver o problema foi feito durante 7 dias uma receita caseira, e mesmo assim ele não parou de comer as fezes.

Na prática, este cão teve a oportunidade de comer 21 vezes o cocô e, a cada repetição do evento, ele se vicia ainda mais. Ou seja, só piorou a questão.

Identificar possíveis erros que possa estar cometendo

  • Não avaliar a questão nutricional;
  • Ofertar ração à vontade;
  • Dar ração de baixa qualidade;
  • Dar a comida no potinho de forma monótona;
  • Ofertar um ambiente empobrecido de estímulos e sem atividades físicas;
  • Dar broncas e brigar com o cachorro que sofre com coprofagia canina;
  • Esfregar o focinho do filhote nas fezes;
  • Limpar as fezes na presença do animal;
  • Disputar os dejetos com o cachorro;
  • Não ter um espaço destinado às necessidades do animal;
  • Ter um espaço de treino desorganizado e sem os itens necessários do treino.

Etapa 2: Ajustar a rotina e a alimentação

Maltês com língua para fora

É essencial ajustar a Rotina do cachorro, para adaptar ao seu dia a dia, e assim conseguir educar ele com poucos minutos por dia.

Cães adoram uma rotina previsível. Por conta disso, deve ser adaptado para eles horários para a alimentação, passeios, brincadeiras, treinos, entre outros. Estes ajustes devem estar em sintonia com os costumes do tutor.

A organização dos costumes ajudará na execução do treino anti-coprofagia, pois com os ajustes, o cachorro que come as próprias fezes tende a regular seu relógio biológico, e com isso o tutor conseguirá excecutar os treinos para o cão parar de comer cocô.

Entender a forma correta de limpar o banheirinho do cachorro

Limpar os dejetos na presença do cachorro é um erro que deve ser eliminado.

A forma correta é retirar o cachorro de maneira adequada do espaço destinado ao banheirinho dele e, após ele estar em outro ambiente, de preferência com alguma distração, aí sim executar a limpeza.

Controlar de forma certa a alimentação do cachorro e seus horários

Alimentar o cachorro que sofre com coprofagia canina de forma correta é muito importante para conseguir resolver o problema. Três pontos devem ser observados: Quantidade, Qualidade e Forma de Alimentar. Além de também ser necessário a definição de horários fixos para as refeições.

Controlando corretamente a alimentação, com os nutrientes necessários, e desenvolvendo um dia a dia previsível, haverá uma melhor regulação do relógio biológico do cãozinho, potencializando assim a educação em geral e o treinamento anti-coprofagia.

Etapa 3: Aplicar o treino para nunca mais ver seu cachorro comendo o próprio cocô

Border Collie adulto sentado de coleira

Ao longo dos últimos anos atuando como adestrador e comportamentalista animal tive a oportunidade de atender inúmeros cães que sofriam comendo as próprias fezes. Para conseguir os melhores resultados, desenvolvi uma técnica para treinar estes cães.

Observando os comportamentos de cães coprófagos, pude notar várias semelhanças entre os casos e com isso percebi que estes cães haviam (independente das razões, raça e idade) aprendido a comer fezes.

Deste modo, criei uma técnica secreta e exclusiva, que chamo de Método da Dupla Recompensa.

Com esta técnica consigo ensinar o comportamento desejado e reestruturar a percepção do cachorro quando ele vê o dejeto, ou seja, é uma técnica que mexe na cabeça do cãozinho que sofre com coprofagia, ajudando ele a aprender que não pode mexer nem comer as fezes.

Aprender o que deve fazer se você ver o seu cão comendo fezes

Golden retriever adulto

“O pior momento para se corrigir o comportamento errado de um cachorro, é quando o mesmo está acontecendo”.

Esta frase resume bem o que acontece com a maioria dos cães que comem fezes, seus donos ou tutores não sabem o que fazer quando vêem o pet comendo as fezes e cometem vários erros que pioram o quadro do pet comendo dejetos.

Aprender o que se deve fazer no momento em que vê o pet comendo fezes e saber lidar com ele nestas horas é algo essencial, ponto-chave na resolução desse problema.

Ensinar seu cão a ir até você para avisar que fez cocô

Dentro do treino, a fase mais importante é ensinar o pet a se afastar das fezes. Ele irá até você todo feliz e contente para avisar que fez o cocô, sem nem ter chego perto das fezes pra comer ou mexer.

O comportamento de se afastar das fezes precisa ser muito vantajoso pro cão, e o animal que sofre com isso precisa perceber que é muito melhor deixá-las de lado e ir avisar o tutor que fez as necessidades.

E para conseguir este resultado, o tutor do cão que sofre com coprofagia aprenderá como ter a motivação por parte dele para a resposta correta, e quais os comportamentos que devem ser treinados, passo a passo, para que ele passe a avisar, feliz e contente, que fez cocô e não comeu.

Conclusão

Seguindo tudo que orientei aqui sobre estas 3 etapas, você consegue melhorar a saúde comportamental do seu cãozinho, eliminando a coprofagia.

Então, se você possui cachorros com esses hábitos, não deixe de seguir estas orientações, para começar hoje mesmo a eliminar os problemas e buscar colocar em prática a solução.

Lembre-se também de oferecer uma dieta com alimento rico em nutrientes, e diminuir o estresse do cão. Assim, ele muda de atitude e você e sua família conseguem conviver com ele normalmente, sem esse tipo de incômodo.

Para conhecer o passo a passo que criei para resolver de maneira rápida essa questão de cachorro comer fezes, conheça o Método COMER COCÔ NUNCA MAIS e consiga com que seu cachorrinho pare de UMA VEZ POR TODAS de comer cocô, clique no botão abaixo:

Perguntas frequentes

Nem sempre isso indica que a saúde do pet está prejudicada ou que ele sofra de doenças (como vermes ou giárdia). Mas, algo de errado certamente deve estar acontecendo, e muito provavelmente é alguma questão comportamental.

A vida do seu cachorro e a sua ficará muito mais fácil se ele deixar de ingerir os dejetos. Para que isso aconteça, é recomendado que você descarte doenças com um veterinário e mude costumes que estejam errados. A leitura e aplicação das nossas dicas de 3 etapas são o melhor jeito de resolver essa questão.

Apesar de algumas pessoas considerarem essa informação verdade, ela é falsa. Apesar de existir sim algumas raças com maior pré disposição (tipo Shih Tzu), nada tem a ver com o tamanho dos animais. Um exemplo, é o golden retriever, que frequentemente consome as próprias fezes, mas no caso é um animal grande.

Rafael Wisneski

Rafael Wisneski

Especialista em Comportamento Canino e Educação Canina há mais de 15 anos, professor universitário de cursos de Medicina Veterinária, e idealizador de cursos online para tutores e cursos para adestradores

Escrito por:

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigo relacionados

Qual É A Sua Dúvida?

Encontre A Solução Que Você Procura Sobre Coprofagia

Filhote comendo cocô